imageEu era criança mas lembro-me perfeitamente. Do calor dos Verões, do cheiro a eucalipto que vinha dos pinhais entre Junho e Setembro, dos rostos da minha prima Paula, da Sandra e da Marcita, da minha avó sempre atarefada entre a cozinha e a horta e da enorme sensação de liberdade. Estava de férias e corria pelos campos a dançar e a cantarolar “Xiquita Bacana, se veste mais bonita, se veste com uma casca de banana” ou o “Comme un enfant “… Também voava de braços abertos na minha bicicleta Janette, sem medo de cotovelos e joelhos esfolados. No fim desses dias, sempre quentes, gritava de alegria quando os meus pais deixavam o depósito da água encher e ela vertia, num chuveiro refrescante sobre as crianças da minha rua. Nos Verões da minha infância, todos os dias havia algo para fazer, sem se fazer nada.

Eram os maravilhosos anos 80. Anos em que eu nem sabia que existia o Algarve, hotéis de qualquer espécie e estrelas, piscinas sem ser improvisadas em bacias e em tanques de rega. Em que a ria tinha praias maravilhosas, de areia branca, uma delas a que ainda hoje se chama Biarritz. Em que os cães tinham pulgas e raramente iam ao veterinário, mas nós dávamos-lhes beijos na mesma e os nossos pais não se importavam… Anos em que era uma criança feliz, que vivia uma vida modesta mas que colecionava momentos que recordo até hoje.

Acredito, pelo que escrevi (e vivi) acima, que uma “rica” colecção de momentos não precisa custar muito dinheiro. (Nem precisa custar dinheiro nenhum). Podemos ter e proporcionar aos nossos filhos as melhores férias de sempre, sem hotéis de 5 estrelas, resorts de luxo no estrangeiro e sem as praias da moda.

São os momentos que têm de ser 5 estrelas, não os hotéis.

Este ano é o segundo ano consecutivo que não saímos de férias. O ano passado porque a Flor nasceu no dia 15 de Julho e, este ano, porque estamos num ano de poupança. A Lia vai para a Universidade, eu preciso de um carro novo, o meu carro velho só me deu despesa, fiz obras nos anexos cá de casa, tenho milhares de euros em livros para comprar, há um limite nas minhas poupanças do qual eu não quero descer (o meu balão de oxigénio), entre outras razões deste género.

Os protestos dos miúdos quando lhes disse que não íamos para fora de férias, fizeram-me pensar que estou a criar uma espécie de pequenos monstrinho mimados, uns menininhos da classe média com a mania das grandezas – chamei-lhes mesmo isto (e não, não estou arrependida). Mas também me fizeram aguçar a vontade de lhes provar que, para termos umas férias memoráveis, não precisamos de muitos luxos. Na verdade, nem precisamos de fazer coisas. Podemos não fazer absolutamente nada e ser tremendamente felizes!

Resolvi transformar a casa num resort. Comprei uma piscina, o Bruno arranjou as mesas e cadeiras de teka, decorei as Yukas (as nossas palmeiras tropicais) com velas suspensas, os anexos são agora a nossa lounge zone com cadeirões relax e almofadas coloridas… Et voilá.

Quando lhes pergunto, entusiasmada com os programas que planeei fora de casa: ‘Bora à praia? Oh mãe, nãooooo! Queremos ficar na piscina!!!

Este está a ser o lazzy summer dos meus filhos. O verão das memórias caseiras, do dolce fare niente em família. Dos jogos do galo, das chapolas de barriga, das brigas de água entre irmãos, da Flor a espernear na piscina arco-íris. Da mãe histérica a gritar mil vezes que esvazia a piscina, se a voltam a molhar. Do não terem de fazer trabalhos de casa, desde que leiam livros. Do Bruno na grelha, com a cerveja numa mão e o abanador na outra.

Tenho a certeza que um dia, num futuro não muito distante, a minha Ana irá escrever no seu futuro blogue ( ou lá como se chamará um blogue no futuro), sobre as férias de 2016, em que fez… absolutamente nada. Sobre memórias simples que, com o tempo, se tornam nas melhores recordações de infância.

Sobre férias reais, sem mordomias.

DICAS PARA PREPARAR UMAS FÉRIAS INESQUECÍVEIS EM CASA:

  1. Relaxa. O primeiro passo é conseguir desligar do trabalho e entrar em modo férias.  (Isto significa que não vais aproveitar que estás em casa, para desatar a arrumar e a limpar. Vais usufruir do tempo com a família, mantendo a casa em regime de “serviços mínimos”!)
  2. Os teus filhos também estão de férias. Nada de trabalhos de casa nos dias em que estão de férias contigo. Nada de os repreender por gritarem de felicidade, nada de exigir que se portem sempre bem. Deixa-os ficar acordados até mais tarde.
  3. Cria um cenário inspirador em casa. Rede na varanda, velas ou tochas nos vasos, mangueira a fazer de chuveiro exterior, piscina no terraço, mesa lá fora ou junto à janela…
  4. Inspira-te nos sabores, cores e formas das ementas de verão e capricha nos menus de férias. O Restaurant Chez Nous tem cocktails com palhinhas e rodelas de laranja, sombrinhas de papel e triângulos de ananás … Certo?
  5. Convida amigos para um Dia Havaiano.Crescidos ou pequenotes, conta o convívio e a animação. Com ou sem grinaldas de flores, vai ser inesquecível. Se não gostas do Havai, os sunset estão na moda no mundo inteiro…
  6. Planeia programas fora de casa. Mas não te obrigues a cumprir horários nem rotas muito rigorosas. Afinal, estão de férias e não ter horários é tão bom.

BOAS FÉRIAS!

Liliana Cachim

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *