imageÉPOCA DE EXAMES: PÔR OS FILHOS A COMER BEM SEM QUEIMAREM OS FUSÍVEIS

A Maria e o Francisco frequentam atualmente o 5º ano e vão ter provas de aferição daqui a dias. Questões à parte sobre a pertinência (ou não) destas avaliações, a verdade é que são sempre necessárias doses reforçadas de genica cerebral em época de exames!

Para escrever este post, baseei-me em informação transmitida pelo director do Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (http://www.alimentacaosaudavel.dgs.pt) da Direção-Geral da Saúde, Pedro Graça, e pela bastonária da Ordem dos Nutricionistas (www.ordemdosnutricionistas.pt), Alexandra Bento. Recorri ainda ao documento “Alimentação em Idade Escolar – Guia Prático para Educadores”, da Associação Portuguesa de Nutricionistas (www.apn.org.pt/documentos/guias/GuiaAPN_AlimentacaoIdadeEscolar.pdf).

“O nosso cérebro utiliza a glicose como fonte de energia, sendo que a sua falta pode diminuir a performance cognitiva, devendo ingerir-se principalmente alimentos ricos em hidratos de carbono complexos” – refere Pedro Graça, a respeito da alimentação das crianças em época de exames. Para além disso e de forma a garantir que a alimentação é variada e equilibrada, devemos sempre incentivar o consumo de frutas, verduras, peixes e carnes (ou outras fontes de proteína não animal, se preferirem).

A (nova) roda dos alimentos
– fonte: Associação Portuguesa de Nutricionistas –

imageOu seja, de uma forma geral mas, em particular, nesta época, faço por dar aos meus filhos (entre outros alimentos) fruta fresca ou frutos secos, legumes variados e muitas vezes mascarados para que não sejam postos de lado, peixe, carnes brancas, pão escuro, sementes, leguminosas, flocos de aveia, arroz, batata…

Nunca tomei suplementos alimentares em épocas de maior exigência escolar e sempre fui boa aluna (aliás, muito boa aluna, não sejas modesta Teresa Maria). Também nunca os dei aos meus filhos. Nada contra! Apenas acho que a suplementação em cima do acontecimento de nada vai valer. É como nos lembrarmos de Santa Bárbara apenas quando troveja!

De qualquer forma e como bem alerta a bastonária da Ordem dos Nutricionistas, Alexandra Bento, não basta comer bem apenas nesta altura. “A alimentação prepara” mas “repara pouco”. Tem que haver uma preocupação semelhante, um investimento, ao longo de todo o ano. É como estudar! Estudar apenas na véspera normalmente não traz bons resultados… (sim, ok, há sempre exceções)

Um bom pequeno almoço logo pela manhã, boa hidratação ao longo do dia (água, sumos naturais, sopas, refeições ligeiras…) e exercício físico moderado – aqui refiro a monografia de Helga Teixeira da Universidade do Porto, “Alimentação e Desempenho Escolar” – são exemplos de boas práticas junto dos nossos filhos estudantes.

Exemplos de receitas boas que sejam student barra workin mommin friendly?
Ainda há dias fiz um peixe assado delicioso!

Ingredientes:
4 lombos de pescada sem espinhas
20 batatas pequeninas com casca
1 cebola (daquelas carnudas, da aldeia)
Tomilho, azeite, sal e pimenta qb

Preparação:
Num pirex, colocar os lombos de pescada, as batatinhas bem lavadas, a cebola em quartos em cima dos lombos, o azeite e os temperos.
Levar ao forno pré-aquecido a 180ºC.

Comecei a fazer o jantar eram 19h15. Enquanto os mais novos tomavam banho, tratei de fazer tudo e pôr a mesa. Eram 20h15 e já estávamos todos a sair porta fora, com a cozinha arrumada, para uma caminhada solidária em São Mamede de Infesta!

Boa sorte para os exames, pessoal!!

Teresa Cunha (Chef de Cozinha)

 

 

Liliana Cachim

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *