Portugal, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), está entre os países da Europa com maior número de crianças com excesso de peso.

A Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil (APCOI) revela indicadores verdadeiramente assustadores. Segundo esta identidade e de acordo com um estudo feito com 18.374 crianças, 33.3% das crianças com idades compreendidas entre os 2 e os 12 anos têm excesso de peso. (ver link)

http://www.apcoi.pt/obesidade-infantil/

Cabe a cada uma de nós, mães, garantir que os nossos filhos se mantenham fora deste grupo de risco. O excesso de peso está associado a doenças graves, quer do foro físico, quer psicológico.

Em Portugal crescemos com os nossos pais e avós a insistirem para nós comermos – come menina, come, estás tão magrinha (ouvi eu tantas vezes)– e temos muita tendência para exercer essa mesma pressão nas nossas crianças. No entanto, mais importante do que comer muito, é comer bem.

Tudo começa com a prevenção – uma alimentação saudável e variada com respeito pelo equilíbrio recomendado pela Roda dos Alimentos, a ingestão diária de água, a prática de actividade física regular e um estilo de vida activo e pleno de actividades de exterior, deverão ser pilares fundamentais de uma boa educação para a saúde dos nossos filhos.

A tomada de consciência para este problema é fundamental para a correção de situações existentes na família. Só a tomada de consciência para o problema pode levar à ação.

Neste blogue, vou abordar o tema da Obesidade Infantil e da Educação para a alimentação equilibrada… muitas vezes! Vou apoiar-me na ajuda de profissionais da nutrição. Vou apresentar dicas e sugestões para um dia-a-dia mais saudável. Vou sugerir boas práticas alimentares dentro do orçamento.

Hoje, fica o alerta. A informação. O link para a APCOI, que espero abram de modo a que tomem consciência da dimensão deste problema. Estou a alertar para uma Epidemia.

Liliana Cachim

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *