Quando a Flor nasceu, em Julho deste ano, eu estava longe de ser mãe de primeira viagem mas foi assim que me senti.

O Luís Pedro já tem 10 anos e o gap de uma década entre nascimentos faz com que muita coisa pareça acontecer pela primeira vez. O pegar num recém-nascido, o primeiro banho, o vestir aquela roupinha mínima, o colocar o bebé na cadeirinha… tudo aconteceu dentro da normalidade mas com alguma insegurança.

Confesso que, antes de a Flor nascer, costumava pensar – ah, eu já tenho imensa experiência– ou – a Lia, que nasceu há quase 19 anos, preparou-me para o pior (ela era um bebé chorão que NÃO dormia)! E verbalizava isso com as minhas amigas, com a maior das naturalidades, como se tivesse a certeza absoluta que estava preparada para tudo.

Mas não estava. Ninguém está preparado para… as cólicas do recém-nascido! Esse bicho papão!!! Esse monstro que aterroriza pais e mães e faz sofrer os bebés!

Consulta no pediatra e viemos com um receituário que prometia aliviar dores e melhorar o sono de toda a família. Colimil e Biogaia. – Mas e o Aero Om? – perguntei. Ora, parece que o Aero Om é maioritariamente composto por açúcar, logo já não é recomendado. Seguimos todas as indicações do pediatra e, de facto, as melhoras foram-se notando. Mas entre as 6 da tarde e as 9 da noite, nada aliviava o choro da Flor. Ela chorava até ficar exausta e continuava a chorar mesmo exausta. E nós também. O Bruno, o meu marido, ainda sofria mais do que eu (a Flor é a sua primeira filha).

Eu ia puxando a cassete da minha vida atrás e lembrava-me de como as «gotinhas cor-de-rosa» aliviaram todas as cólicas dos meus outros bebés. E de como nenhum deles se tornou propriamente num sugar addict por causa disso. Até que, um dia, o acaso fez-me ir parar à caixa em frente a uma vitrina de parafarmácia do Pingo Doce e eu não resisti.

Nessa mesma tarde, 7 e tal, e a menina num pranto. Quase roxa de tanto chorar. Tiro-lhe a chupeta, duas gotinhas para experimentar e … (silêncio). A Flor adormeceu.

Este é um artigo de opinião. Por favor, solicite indicação médica.
Este é um artigo de opinião. Por favor, solicite indicação médica.

Bastaram 2 gotinhas. E ela adormeceu.

Nos dias que se seguiram, voltava a usar 2 gotinhas em momentos de crise e ela acalmava, a ponto de conseguir soltar os gases que tanto a incomodavam.

Costumava ainda levar comigo o frasquinho no dia das vacinas. Depois das picadas, nada como 2 gotinhas para aliviar o bebé. E nunca nenhuma enfermeira me criticou por isso.

Sou a favor de seguirmos à risca as indicações dos nossos pediatras. Eles sabem o que é melhor para os bebés. Mas neste caso, a minha experiência passada fez-me agir. E eu estava certa. Quando voltei ao pediatra contei-lhe que usava Aero Om e ele não se manifestou contra (recordo que nem a favor) mas recomendou um uso moderado e em SOS. O Aero Om não foi retirado do mercado, se usado com moderação (eu dava um máximo de 10 gotas diárias) é inócuo e a verdade é que acalma o bebé.

Um verdadeiro life saver!

Liliana Cachim

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Comment *